domingo, 30 de setembro de 2012

JESHUA - COMUNICANDO-SE COM SUA ALMA



COMUNICANDO-SE COM SUA ALMA
Uma Mensagem de Jeshua
Canalizada por Pamela Kribbe
em setembro de 2012



Querido amigo, Eu Sou Jeshua.
Estou com você.

Minha energia se conecta com a sua; sinta-a ao seu redor e através de você. Não lhe sou estranho. Somos familiares um para o outro, então sinta essa familiaridade. A energia Crística não lhe é estranha. No seu coração existe uma chama, uma inspiração, um desejo e, inclusive, um conhecimento de que esta é a vida e o momento nos quais você quer incorporar sua Luz Crística aqui na Terra.

Você esperou um longo tempo por esta oportunidade. Você vem carregando esta pequenina centelha dentro de si através de inúmeras vidas, e agora sente que uma nova oportunidade chegou. Um dos motivos de você ter desejado nascer na Terra nesta época foi a promessa de que a centelha se tornaria uma chama claramente visível para você mesmo e para os outros.

O desejo que o traz aqui é o de formar, de algum modo, um canal para que a energia divina da sua alma possa se expressar nesta vida na Terra. Você deseja ser transportado pelo canto da sua alma; deseja lembrar quem você é além daquilo que moldou sua vida na Terra a partir do exterior.

Você, como todo ser humano, adquire opiniões e crenças sobre si mesmo durante sua criação; absorve ideias e imagens dos seus pais, familiares, colegas, escola, etc… E começa a desempenhar determinados papéis sem questioná-los, e logo desenvolve algo chamado “personalidade”, um conjunto de hábitos, comportamentos e pensamentos.

Mas, em algum ponto no decorrer do seu crescimento, alguma outra coisa o desperta. No começo não é nada além de um sussurro, uma lembrança que você não consegue localizar; um conhecimento de que você é mais do que é determinado pelo mundo exterior a você. Existe algo mais profundo, uma camada que não pode ser contida e compreendida pelo intelecto humano. Aí se encontra a sua essência, aquilo que precede e sobrevive à esfera terrena – sua alma.

Quando sua alma encarna na Terra, ela já adquiriu uma história. A alma carrega em si todo tipo de impressões de outras vidas e experiências no Cosmos. Ao nascer, você não é uma página em branco; você já desenvolveu sabedoria através de suas experiências prévias; você vem a esta vida com algo para doar.

Ao nascer, você já é uma flor única. E o propósito da vida é realmente tornar essa flor viável e visível; é levá-la ao desabrochar pleno e radiante. Entretanto, devido às influências adquiridas durante sua juventude, você pode ser afastado desse progresso por muito tempo. 

Você tenta se ajustar ao que é exigido de você, e essa adaptação geralmente traz dor porque com isso você se priva do seu desenvolvimento natural. Forças externas podem ser muito coercivas e decisivas para você. Todos que estão presentes aqui ou lendo isto agora desejam se libertar dessas forças.

Pressões vindas do ambiente em que você vive tentam influenciá-lo, defini-lo e mantê-lo sob controle, mas como uma borboleta emergindo do seu casulo, você procura se libertar dessas forças externas. E o que o leva a fazer isso? Uma lembrança, um sussurro, uma sabedoria, que no começo são muito sutis e não conseguem encontrar realização no mundo visível, apenas nas profundezas do seu ser.

Lá dentro, você ainda ousa sonhar; lá dentro, você às vezes sabe claramente quem você é. Algumas vezes, você literalmente viaja para o Lar nos seus sonhos durante a noite, para beber de uma fonte tão viva, tão familiar e tão pura. Quando está lá, você não pode imaginar como pôde ter se esquecido… entretanto é assim que é. Você se perdeu na sua vida na Terra principalmente porque o medo, o julgamento e a negatividade ainda prevalecem no mundo.

Devido à sua própria impotência, os pais e professores geralmente não ensinam suas crianças a ter confiança em si mesmas e nos seus recursos internos – perdoe-os por isso. Eles também foram presas dessas influências mundanas; eles sucumbiram, em parte, às ilusões que prevalecem na Terra.

Mas você veio aqui para destruir essas ilusões, e isto faz de você um Trabalhador da Luz, um indivíduo que deseja ajudar a mudar a consciência na Terra, para que as pessoas possam voltar a acreditar em sua própria força exclusiva – a alma, que transcende sua personalidade terrena – e transformá-la numa canção.

Você é corajoso!

Por um lado, você foi ferido pela perda do seu caminho nesta realidade, e esta experiência dolorosa tornou-se parte do seu caminho na vida. Mas, por outro lado, você também encontrou o caminho para o seu interior, ao ouvir os sussurros da sua alma.

Às vezes é difícil confiar realmente, porque você é influenciado pelos velhos pensamentos que o fazem sentir-se pequeno; e pelos sentimentos de incerteza e dúvida. De fato, quando criança, você aprendeu que esses sentimentos eram corretos e verdadeiros: “mantenha-se pequeno; não se destaque; não aja de forma estranha; não pense além das normas; adapte-se; seja um bom cidadão; seja um bom parceiro e um bom pai ou mãe; seja responsável…”

Todos esses valores, supostamente elevados, muitas vezes o mantêm pequeno e exigem que você esconda a sua originalidade. Mas, uma vez que comece a dirigir-se para o seu próprio interior, você não pode mais voltar atrás, não consegue mais ignorar sua singularidade, sua força, o fato de ser diferente, e isto lhe inspira medo: “Se eu seguir a voz do meu coração, o grito da minha alma, não me tornarei um marginal? As pessoas não se afastarão de mim? Quem me amará, quem desejará aceitar-me então? Será que ainda serei bem acolhido?”

Eu vejo essa dúvida no seu coração e lhe peço que reflita primeiro sobre quem você é: essa outra parte que deseja se mudar do caminho batido, que continua a querer voltar-se para dentro, que se lembra de algo, que sente uma saudade, um anseio… sinta a energia desse “Eu”, dessa outra parte de você. Dê-lhe as boas-vindas à Terra e sinta o poder e a sabedoria dessa sua parte.

É a sua alma que fala e que tem dado tapinhas no seu ombro durante toda a sua vida, implorando por sua atenção. A alma nunca fala com coerção ou julgamento, com severidade ou ameaças, como falam as vozes das autoridades. A alma sussurra, convida, fala com alegria: “Isto não seria bom? Não seria maravilhoso e inspirador fazer isto?”

Muitas vezes você tem medo de ouvir essa voz: “Será que pode mesmo ser assim? Será então que eu posso simplesmente fazer e aproveitar o que eu realmente gosto?” 

A alma fala uma linguagem totalmente diferente daquela com a qual você está acostumado.
A alma não é nenhum poder externo lhe fazendo exigências; a alma lhe serve.

Isto parece estranho aos seus ouvidos, porque você está acostumado a pensar: “Eu devo servir minha alma, a minha parte mais elevada.”

Mas sua alma lhe serve também; ela quer brilhar através de você, elevá-lo, trazê-lo para o Lar, inspirá-lo a fazer o que você realmente quer para ser feliz na Terra como ser humano. Convide a energia alegre da sua alma para si. Faça isto agora. 

Permita que ela o envolva, sinta a suavidade dela – nada de compulsão, nada de exigências – apenas o sentimento de ser acolhida de um modo muito profundo. Permita-se ser recebido pela sua alma, e sinta a presença dela no seu corpo como uma capa de Luz radiante.

Então, pergunte à sua alma: “O que é importante que eu saiba agora? O que eu preciso saber de você neste momento?” E sinta sua resposta.

Não é preciso escutá-la com palavras. Perceba que tipo de sentimento, que tipo de humor sua alma deseja lhe transmitir. Abandone todos os pensamentos sobre como uma alma deveria falar e suas ideias sobre superior e inferior. Sua alma é a própria vida! É a força vital natural, e sabe onde o equilíbrio é necessário… ou um ritmo diferente… e quer lhe oferecer isso de bom grado.

Se você sentir essa energia da alma fluir ao seu redor e através do seu corpo, observe também o que pode estar bloqueando esse fluxo em determinados pontos. Existe algum lugar na sua aura, ou no seu corpo, onde a Luz não consegue fluir livre e completamente?

Então, vá para o local que se sobressai como sendo o mais bloqueado. Não faça julgamentos sobre isso; seja como a alma, observe simplesmente, levemente, com suavidade e abertura. Veja a necessidade nesse ponto do seu campo energético ou do seu corpo, e saiba que não é preciso falar sobre isso nem explicá-lo em palavras; simplesmente permita que o que for necessário flua para esse local.

Você está aqui hoje [ou lendo este texto] porque, por algum motivo, deseja se conectar com um ser canalizado. Mas eu lhe digo que, por traz desse desejo, está um desejo maior de estar no Lar – o lugar onde você pode sentir a realidade de quem você é – e trazer esse Lar para a Terra.

É para isto que você está aqui! Sinta como é boa e verdadeira essa intenção! Como você vai fazer isso e que forma ele terá exatamente é secundário. Esse desejo é a voz da sua alma. Sua alma deseja manifestar-se mais clara e plenamente na sua vida.

Sinta como sua alma lhe é familiar – a leveza e a tranquilidade dela.
Essa é a voz do amor.

Os “deves”, o peso, a pressão, o dever, são as vozes do medo, as vozes que vêm de fora de você mesmo. A voz da sua alma vem do seu interior e, algumas vezes, fala tão baixinho e suavemente, que você não a escuta. Ou sussurra gentil e serenamente: “É tão simples, não é?

E é simples assim!
A essência da vida é descomplicada e leve.

Finalmente, peço a todos que sintam nossa energia em comum; a energia de todos nós juntos. Aqui e agora, nós criamos um canal para todos nós também. E isto significa que nós somos nós mesmos completamente e sem coerção; tudo é permitido ser como é, inclusive os lugares escuros e temíveis. E ao mesmo tempo, uma Luz brilha nesses lugares, a Luz de suas almas.

Gostaria de encerrar dizendo a cada um de vocês: tenha respeito por si mesmo, por sua força, pela coragem que você tem demonstrado até agora. Não lhe convém julgar a si mesmo, fazer-se pequeno nem se criticar, embora tenha aprendido que fazer essas coisas é bom ou sensato. Tente aprender a ter respeito por si mesmo e a valorizar sua própria coragem e força. Isto lhe convém; isto abre seu canal para quem você realmente é.


© Pamela Kribbe 2012
www.jeshua.net
Tradução de Vera Corrêa 
 veracorrea46@ig.com.br