domingo, 3 de junho de 2012

O TAO DA PRODUTIVIDADE





O TAO DA PRODUTIVIDADE 



Dia destes me deparei com este texto, escrito por Leo Babauta, e me fez pensar bastante sobre a necessidade premente de sempre fazer mais. Creio que possa ser interessante à muitas pessoas, por isso traduzo o texto neste espaço. O texto original encontra-se no website Zen Habits. Boa leitura.


Na era da comunicação digital, nós estamos mais ocupados do que nunca. E ainda assim, com todos nossos ruídos e fúria, nós parecemos não ter tempo para focar, para o que é importante, para pensar.

Para encontrar o foco, nós precisaremos repensar a necessidade por produtividade.

Pense na nossa cultura da obsessão por produtividade: com a necessidade do “trabalho duro” e trabalhar longas horas para fazer o que precisa ser feito, com a necessidade de estar sempre ocupado, ocupado, ocupado o tempo todo, com a necessidade de fazer listas e checá-las sempre, com a necessidade de lidar com incontáveis projetos e trazer mais receita e conquistar mais e mais. Mas para que? Qual é o ponto para tanta obsessão? Ela resulta em fadiga, stress, ansiedade, infelicidade, ganância, confusão, e pouco tempo para a família, amigos e para você mesmo.

O que pode acontecer se jogássemos tudo porta afora? E se nós disséssemos: “Eu quero fazer as coisas importantes, mas o restante pode ir para o inferno.”? Vamos criar um novo credo: Simplicidade, propósito, foco, silencio, e alegria. Vamos fazer coisas bonitas e uteis, e adorar fazê-las.

Com esta “nova” concepção de produtividade (que na realidade é tão velha quanto o trabalho em si), nós adotamos alguns novos princípios. Os princípios propostos são inspirados no Taoísmo, uma filosofia que profundamente mudou minha vida. Não sou um expert em Taoismo, e há muitas coisas que estão escritas a seguir que não são exatamente alinhadas com ele.

Se contente

Se contentar com o que você tem;
Se alegre com o modo como as coisas são.
Quando você percebe que não há nada faltando,
todo o mundo pertence a você.
~Lao Tzu

Este é o fundamento do Tao da Produtividade: a versão antiga da produtividade era fundada no desejo por mais, por ser melhor, por conquistar mais. Mas ao contrário, se liberte do desejo, e perceba que você já tem o suficiente.

Se você perceber que já tem o suficiente, você será extremamente rico.

Se você já é rico, você precisa tanto mais para ter mais dinheiro? 
Você fazer mais e mais?

Se você se contiver, você o faz por que isso lhe dá alegria, não porque você deseja mais.

Quando não há desejo, todas as coisas estão em paz.

Mestre da não-ação

As coisas mais gentis do mundo superam as coisas mais difíceis do mundo.
Aquilo que não tem substância penetra aonde não há espaço.
Isso demonstra o valor da não-ação.
Ensinar sem palavras, agir sem ações: este é o caminho do Mestre.

Este deve ser o principio mais difícil para o mestre, eu acredito, porque nossa antiga obsessão com a produtividade era uma obsessão por fazer. Isso me faz lembrar da natureza: ela não faz nada, não se apressa, e ainda sim tudo acontece.

Por que tudo acontece na natureza? 

Porque:

1. Não há nada que verdadeiramente precisa ser feito – o que acontecer é bom.

2. O que acontece é um resultado atual da natureza das coisas – elas fazem o que fazem, pois é isso que elas são.

Pense em como isso se aplica em seu trabalho: você pode renunciar ao que você pensa que “precisa” ser feito? E você pode repensar nas coisas para que as coisas aconteçam porque elas são assim, e não porque você as forçou a acontecer? Esta não é uma tarefa fácil, mas ela precisa ser realizada se você quiser manter a mente aberta e contemplar as “necessidades” e a natureza das coisas.

O Mestre permite que as coisas aconteçam
Ele molda os eventos como eles acontecem
Ele sai da frente e deixa o Tao falar por si mesmo

Renuncie o Controle

O Mestre vê as coisas como elas são, sem tentar controlá-las.
Ele deixa as coisas seguirem seu próprio caminho, e reside no centro do círculo.
Esta é outra mudança difícil: deixar nossa necessidade por controle. Nós temos que controlar nosso ambiente, controlar nosso comportamento, controlar nossas mentes, controlar outras pessoas, controlar os resultados. E ainda, isso tudo é uma ilusão: nós não temos nenhum controle sobre o que acontece. Coisas saem errado o tempo todo, planos falham, nós falhamos, e nós nos sentimos como fracassados por causa disso. Porque pensamos que podíamos controlar algo, e não podemos.
Controlar outras pessoas é uma enorme fonte de conflito. Pare de tentar controlar seus empregados, colegas de trabalho, chefes, membros do seu time, pessoas queridas. Deixe-os fazer o que quiserem e trabalhar com você como desejarem.

Mas como você trabalha sem controle? Isso demora um tempo para aprender, mas a idéia é deixar as coisas acontecerem, e aja (ou não aja) conforme o fluxo dos eventos. Deixe que as pessoas agirem como desejarem, e encontre calma no meio deste turbilhão de atividades e pessoas.

O Mestre permite que as coisas aconteçam
Ele molda os eventos como eles acontecem
Ele sai da frente e deixa o Tao falar por si mesmo

Pare de planejar

Outras pessoas têm um propósito;
Eu sozinho não sei.
Eu derivo como uma onda no oceano,
Eu sopro sem rumo como o vento.

Isto vai de mãos dadas com desapego ao controle. Parar de planejar, parar de tentar controlar a forma como as coisas vão e que resultados terão. A vida nunca vai de acordo com o plano, então por que se estressar, se preocupando com o futuro e, em seguida, se preocupar com o passado, quando os planos são interrompidos?

Viva o momento, com nenhum resultado fixo em mente. 
Deixe as coisas acontecerem, e se contente com o que acontecer. 
Faça seu trabalho, claro, mas faça porque isso lhe faz bem.

Por que ele não tem uma meta em mente, tudo que ele faz é um sucesso.

Se liberte do sucesso e da necessidade por aprovação

O sucesso é tão perigoso quanto o fracasso.
A esperança é tão vazia quanto o medo.
O que significa o sucesso ser tão perigoso quanto o fracasso?
Ou você sobe a escada ou você a desce, sua posição é instável.
Quando você se posiciona com os dois pés no chão, você sempre manterá seu equilíbrio.

Sucesso é uma coisa que está enraizada em nossa cultura, e em quase todos os momentos de nossa infância e do tempo no colégio somos orientados ao sucesso. Mas ele é um conceito vazio.

Quem define o sucesso? Por que ele é tão importante? O que acontece se não o atingirmos? E o que acontece quando o atingirmos, e ainda assim quisermos mais, ou percebermos que ele não valeu todo o esforço, e que desperdiçamos nossas vidas?

Mantenha seus pés no chão. 
Encontre o equilíbrio e o contentamento. 
Esqueça sobre “sucesso”.

O Mestre faz seu trabalho e depois pára.
Ele entende que o universo está para sempre fora do controle, e tentar dominar seus eventos vai contra a corrente do Tao.
Porque ele acredita nele mesmo, ele não precisa convencer os outros.
Porque ele se contenta com ele mesmo, ele não precisa de aprovação dos outros.
Porque ele aceita a si mesmo, todo o mundo o aceita.

Essa citação realmente diz tudo. Eu não tenho nada a acrescentar. Desista da necessidade de aprovação, e a necessidade de "produtividade" desaparece.

Faça seu trabalho & pare

Encha a sua taça até a borda e vai derramar.
Mantenha sua faca afiada e será cortado.
Persiga o dinheiro e segurança e seu coração nunca vai abrir.
Se importe com a aprovação dos outros e você será o prisioneiro deles.
Faça seu trabalho, então pare.
O único caminho para a serenidade.

Esta é a lição que nós levaremos um bom tempo aprendendo. 
Nós fazemos nosso trabalho, e depois precisamos fazer mais e mais. 

Ao invés disso, pare. 
Você irá me agradecer por isso.


Fonte: Sagrada Ordem do Santo Graal - Cavaleiros de Maytreia